sábado, outubro 18, 2008

Projeto aprendendo Inglês


Fui questionada em uma comunidade por escrever demais sobre mim mesma, e que isso é muito cansativo. Eu concordo, mas os pensamentos são meus então acho meio normal eu falar do meu mundo no meu blog não? Mas por ser bem racional e até mesmo democrática, apesar de só uma pessoa ter feito tal sugestão, resolvi postar algumas coisas que ajudem as pessoas a aprender inglês. Acho que é fácil eu postar isso porque sou um tanto quanto autodidata, então posso fazer uso de minhas próprias experiências. Se tiverem alguma sugestão, reclamação ou qualquer coisa do gênero, podem fazer aqui pelo blog mesmo ou me mandar um e-mail para joycarpes@hotmail.com. Prometo responder a todos os e-mails enviados, se enviados. Uma das primeiras coisas que me ajudou muito a formar vocabulário foi traduzir músicas. Me facilitou muito também gostar de cantores e bandas que cantam alguma coisa nas letras, porque o que mais existe por aí é trash music, letras que não falam nada com nada, e isso dificulta bastante o entendimento de certas funções linguísticas, expressões, frases fixas etc, etc... Está é uma música super fácil de entender. Postei o vídeo da mesma no post anterior, juntando assim, o útil ao agradável. Vale também lembrar que Keane é cute music e não necessáriamente cult music . xD
Vamos ver como ficou?


Something In Me Was Dying

Alguma coisa em mim estava morrendo

Something in me was dying
And my heart was heavy as stone
Hard as I was trying
I never could find, find my way home
And your voice came out of nowhere
"Be my friend and give me your hand
Let's take off together
And then we can live wherever we land"

Alguma coisa em mim estava morrendo
E meu coração estava duro como uma pedra
Duro como eu estava tentando
Eu nunca mais poderia achar, achar meu caminho para casa
E sua voz veio do nada
"Seja meu amigo e me dê sua mão
Vamos decolar juntos
E aí nós podemos viver onde quer que a gente pouse"

Something in me was broken
And my thoughts were bitter and ill
My world was blown open
And I couldn't see and I couldn't feel
You said "Be yourself and think of me
And you'll know there's nothing to fear
Let's make plans together
It's time to move on and get out of here"

Alguma coisa em mim estava quebrada
E meus pensamentos estavam amargos e doentes
Meu mundo estava destruído
E eu não podia ver e eu não podia sentir
Você disse: "Seja você mesmo e pense em mim
E você saberá que não há o que temer
Vamos fazer planos juntos
É tempo de mudar e sair daqui"

Girl I need you, don't know what I would do
Will you see the story through
It's a cruel world and I need somewhere to hide
But time goes by and you're still on my side

Menina eu preciso de você, não sei o que eu faria
Você vai ver através da história (?) -> isso é uma pergunta mesmo
É um mundo cruel e eu preciso de algum lugar para me esconder
Mas o tempo passa e você ainda está aqui do meu lado

Something in me was sinking
Cos my heart was heavy as stone
I gave up, was thinking
I never would find, find my way home
And your voice came out of nowhere
"Be my friend and give me your hand
Let's take off together
And then we can live wherever we land"

Alguma coisa em mim estava afundando
Porque meu coração estava duro como uma pedra
Eu desisti, estava pensando
Eu nunca iria encotrar, encontrar meu caminho para casa
E sua voz veio do nada
"Seja meu amigo e me dê sua mão
Vamos decolar juntos
E aí nós poderemos viver onde quer que a gente pouse"

Girl I need you, don't know what I would do
Will you see the story through
It's a cruel world and I need somewhere to hide
But time goes by and you're still on my side

Menina eu preciso de você, não sei o que eu faria
Você vai ver através da história (?)
É um mundo cruel e eu preciso de algum lugar para me esconder
Mas o tempo passa e você ainda está aqui do meu lado

Waiting, Searching
Turning over
Running round in circles
And I've worn myself out
Hoping that we'll always be together
Yeah we'll always be together
Yeah we'll always be together
Yeah we'll always be together
Yeah we'll always be together
Yeah we'll always be together

Esperando, porcurando
Se virando (literalmente -> se virando para mim)
Correndo em círculos
E eu me tornei exausto
Esperando que nós sempre estaremos juntos
Sim nós sempre estaremos juntos
Sim nós sempre estaremos juntos
Sim nós sempre estaremos juntos
Sim nós sempre estaremos juntos
Sim nós sempre estaremos juntos

quinta-feira, outubro 16, 2008

Something in me was Dying



Sem fazer cerimônia: EU ADORO ESSA MÚSICA!

Pode falar o que quiser, mas ela é linda, perfeita, harmoniosa!
E para aqueles que não sabem inglês ela não é triste, portanto não me venham falar que é música de emo OK?

Amo Keane S2

O Tom é muito fofo fala aí ^^

Não tem clip, então foi esse vídeo que achei no youtube, e esse vídeo que vos posto!
Me desculpem meninos, a guria que fez só botou fotos do Tom xD
Mas fechem os olhos e aproveitem o som! Os artistas de hoje em dia não pensam mais tanto assim na qualidade e originalidade de uma música!

Até mais o/

domingo, setembro 14, 2008

Confissão


Muito bem, eu confesso que eu o matei. Eu o matei hoje às 2:15 da manhã eu sei, não nego, confesso que o fiz, não tenho vergonha de negar.


O que posso fazer? Estávamos sozinhos no meu quarto, meus pais dormiam no quarto em frente. Fazia silêncio, tudo estava escuro. Eu, quieta, esntretida nas sombras olhando os desenhos que o vulto do ventilador desenhava no teto apenas com a luz azul do relógio do vídeo e ouvindo um CD do U2 enquanto ele se arrastava pelo chão do quarto. Era um inseto, literalmente um inseto. Um inseto rastejante que nada podia fazer à força do vento às suas costas.


Em meio à todo aquele breu me levantei por um instante e caminhei até o banheiro. Precisava pensar. Foi então que decidi que daquela noite ele não me escaparia.


Maldito!

Pagaria por tudo o que me fez!


Todas aquelas feridas... tenho marcas dessas feridas...


Voltei para o meu quarto ainda não muito consciente do que iria fazer. Ele só me fez rir uma vez. Uma vez que Gdansk tentou pega-lo no pulo... era ridículo...


Ao entrar no meu quarto, fechei a porta atrás de mim e acendi a luz. Foi então que o vi ainda rastejando no chão, impossibilitado de reagir contra o vento. Ao me ver se apavorou, tentou fugir, mas fui mais rápida, passei a mão em um saco plástico que estava jogado no chão e o comprimi contra o chão com ele.


Fiz isso até ter certeza que ali já não havia mais vida.


Viu? Adimito que o matei... E porque esse ar horrorizado diante deste fato? Era apenas um mosquito...

sexta-feira, setembro 12, 2008

Gosto é gosto... e é gostoso viu! - Vilões


Eu sei que todos estão mais do que cansados de saber que gosto não se discute, mas eu não to aqui pra falar disso, serei mais egocêntrica aqui!



Eu gosto do meu gosto!



Sendo assim eu assumidamente faço parte daquela parcela da sociedade que ama vilões, demais! Pelo puro e simples fato deles serem incrivelmente mais legais e interessantes que os mocinhos, lógico que apenas aqueles bem feitos.



Na ilustração estão Shere Khan, o tigre do Mogli, que era dotado de um incrível charme felino e era um bom manipulador, espalhava o medo com uma facilidade surpreendente na floresta;



Malévola , a rainha do mal (pelo menos pra mim), malévola é a melhor bruxa dos contos de fadas da Disney, ela tem postura, cativa com a forma de falar, Malévola é a Diva dos vilões! "The Mistress of all Evil!";



Carmen Sandiego era uma que mexia com a minha imaginação, mesmo não falando muito ou aparecendo muito, ela era linda e sempre dava trabalho, nunca era pega, uma vilã um tanto quanto misteriosa;



Miranda Priestly, que eu não a considero totalmente como vilã, mas os outros a consideram, é exigente ao extremo e não se importa em ofender e magoar as pessoas para que seu sucesso seja sempre pleno, é inteligente, perspicaz e deliciosamente irônica (inclusive, alguns dizem que sou meio Miranda - haha - estilo Dragon lady, espero que em questão à ironia que é super divertida);



Drácula, mais específicamente do filme Van Helsing, esse me fez imaginar altas histórias onde ele sempre era o mentor e não necessariamente o cara "fdp", apenas uma pessoa de trato um tanto quanto difícil, mas claro que isso sempre só eu enxergo, assim.. pra variar sabe;



Capitão Gancho é o pirata mais fino e requintado que eu já vi na vida, se é que eu já vi um pirata na vida, quando cansei de esperar Peter Pan na janela, passei a idolatrar Gancho;



Cruella de Vil, Glen Close não poderia ser mais perfeita, captou toca a excentricidade da personagem e deu vida à ela, apesar de eu adorar animais eu sou fã sim da Cruella;



Coringa, mais específicamente do último Batman, eu nunca ri tanto com o Coringa em toda a minha vida e eu nem sou fã do Batman! Heath, espero que saiba que vc é um sucesso aí do outro lado, Coringa melhor que esse não terá;



Lucius Malfoy, não tem muitos pontos interessantes mas a forma de falar, tratar as pessoas e o olhar são tudo neste, na trama da história Lucius nem é um vilão central mas geralmente a presença dele me faz sorrir;



E por fim Severus Snape! Eu sou MUITO fã de Severus Snape! A voz dele é tudoooooo... Snape também não é o vilão central, nem é totalmente vilão ele só ta do lado dele o que é altamente compreensível, mas é extremamente inteligente e faz uso do sarcasmo de uma maneira que você consegue dar gargalhadas com ele batendo os cadernos nas cabeças dos alunos! Severus, você é mara!



Que fique bem claro que eu não sou fã de Harry Potter, mas sim fã de Severus Snape! Esse é o personagem que faz toda a diferença na história, o nome dos livros pode ser Harry Potter e alguma coisa etc, mas pra mim, o que importa é o Snape! Tenho altas mini historinhas com ele em minha mente.. e Alan Rickman é bom demais, em todos os sentidos hauHAuha.. espero que uma certa pessoa não resolva tentar ler meu blog, se tentar que não capisque a idéia haUAHuahUHA, quem me conhece sabe de quem eu falo...



Por fim... divirtam-se com esse vídeo do Severus que me fez rir demais! Não tem a voz dele nem nada, mas quem souber um pouco de inglês vai rir com certeza! Quem quiser ver um vídeo dele é só acessar meu orkut!



Meu gosto é muito gostoso! Se seu gosto for igual, você tem um ótimo gosto gostoso também!



Aqui encerro meu egocentrismo mensal. Até a próxima. o/



http://www.youtube.com/watch?v=LifjHsPc-eQ
(não coloquei o vídeo aqui porque a pessoa que fez esse vídeo desabilitou o embed D= ...)




Mas tem esse, graças!

sábado, setembro 06, 2008

Deu Vontade


Nem sei mais o que eu estava fazendo, só sei que batei aquela vontade e comecei a cantar...

"A Spoonful of sugar helps the medicine go down, the medicine go down-own, the medicine go down..."

Me lembrei de repente o quanto minha infância foi feliz assistindo Mary Poppins na TV. Meu pai tinha numa fita e eu sempre que podia assistia e adorava todas as músicas, simplesmente porque Julie Andrews no papel de Mary Poppins é Supercalifragilicexpiralidocious!

The Perfect Nanny... eu sempre pedia uma colher de açúcar no remédio pra ajudar a descer...

Deu vontade também de rever Mary Poppins. De rever aquela moça linda voando com um guarda-chuva e tirando tudo de possível e imaginário da bolsa.

Sabe, eu tive uma infância gostosa apesar dos apesares. Apesar de decorrentes tragédias eu brinquei na rua, eu assisti desenhos bonitos, eu fui saldável, eu brinquei e interagi com muitas coisas saudáveis tanto pro corpo, quanto pra mente.

Só que as crianças de hoje nem sabem quem é Mary Poppins. E se você ler o livro pra elas, nem vão achar divertido porque não tem explosões, não tem carros, não tem armas.. e nem é video game. E se você mostrar o filme essas mesmas crianças vão falar que é horrível, que o filme é velho e chato, justamente por não ter os efeitos especiais que tanto gostam.

Sabe, deu vontade de escrever. Deu vontade de falar o quão aculturadas estão nossas crianças, o quão obtusas e o quão não saudáveis está sendo a infância delas.

Quando eu era criança, Mary Poppins pra mim era diversão, só depois que entendi que era um clássico.



(Ainda tento arrumar o quarto assim de vez em quando, mas acho que só funciona quando ela tá junto =/)

Os tempos mudaram e olha que eu tenho apenas 21 anos. Eu tive uma infância feliz, onde os clássicos ainda tinham conteúdo, entretiam o público com coisas leves e nobres e gostosas de ver, hoje os clássicos são o oposto. Os clássicos da geração 2000 serão apenas vertentes de "Rebeldes", e nossos clássicos irão quase que imediatamente pro lixo.

'Há 14 anos atrás virei pra minha mãe e disse: "Mãe, eu não quero mais crescer" e ela disse que essas coisas simplesmente acontecem, mas eu ainda tinha esperança que o Peter Pan viria me buscar uma noite e então eu não ia mais precisar crescer... só que ele ainda não veio... porque eu não morava em Londres como a Wendy...'

quarta-feira, agosto 27, 2008

Sarcasmo existe?


sarcasmo

do Lat. sarcasmu sarkarmós


s. m.,
zombaria insultante;
escárnio;
ironia amarga, mordaz.


Bom eu não sei se isso existe, mas se existe, algumas pessoas ainda não pescaram a idéia que anda de mãozinha dada com a velha amiga ironia.

Amiguinhos, conhecidos, desconhecidos.. whatever, whoever... Homem vivendo em aquário é sim só no Bob Esponja gente! Garanto que tem DOIS homens que respiram embaixo d'água no Bob Esponja!

Como disse ali na tirinha : "Bons tempos em que os palpiteiros só precisavam se preocupar com o Futebol...". Eu sei que as coisas ficam mais difíceis com o tempo para alguns, eu sei, eu sei. Essa vida cheia de uploads é realmente elétrica! Não posso mais viver a minha vida lendo somente bula de remédio e escutando as notícias da boca da vovó como fazia antes, não.. isso não é o suficiente eu sei. Hoje temos de ler notícias na internet, assistir jornais na tv, parar de vez em quando e ler as manchetes das revistas nas bancas de jornais. O mundo já foi tão perfeito quando não se tinha que ler nada não é? Veja só, até desenho animado (e dos mais retardados e engraçados diga-se de passagem) é cultura!

Tenho fé em Deus que um dia as pessoas vão se adptar ao novo mundo e integrar-se-ão ao novo sistema (foi lindo agora né? Eita protuguês bunito sô!). Daí pra entender as analogias e brincadeiras é rapidinho, to falando sério! (LOL)

Calma, não fica triste, não da pra saber tudo (UFA!). Dá pra saber bastante, mas não tudo, e quem quer saber tudo também? (Eu, eu tia, olha pra mim aqui, olha, olha olha.. EU QUEROOOO) Se eu soubesse tudo eu ia acabar ficando depressiva por não ter mais o que aprender, por que a vida não passa de um aprendizado constante e é muito bom quando a gente aprende uma coisa nova! Eu pelo menos me sinto ótima quando aprendo uma coisa nova! Daí quero contar pra todo mundo que aprendi uma coisa nova (HA HA!). Mas as pessoas nunca querem ouvir a coisa nova que você aprendeu, só sua mãe quando você tem assim uns 10 anos de idade, depois ela nem se abala com o que você aprendeu.

Mas no fim tudo dá certo! Corre que dá pra aprender muito ainda viu! A menos que você saiba de tudo e já esteja depressivo que nem o Marvin. Tadinho.. Acordou se sentindo depressivo de novo...




C:/FORMAT (*enter*)

E o pior é que tenho certeza que mais gente não vai entender isso aqui de novo MuahauAHuahuahUAHuahUH



domingo, agosto 17, 2008

O novo Homem Sereia

Pára de reclamar rapaz!


Porque ele é sim o NOVO Homem Sereia!

Viu? já tem até aquário!


Quadrinho da visita íntima... tava fazendo rodeios pra guria ;)



E o melhor de tudo...



Tem um corpinho boooooooooooom viu...



Mas a cara.. xiiiiiii...



Só que essas aqui ninguém arranca dele rapá!



Post Medalha de ouro! oops Nota 10... ouro é do Phelps... do Phelps...

sexta-feira, agosto 15, 2008

Qualquer semelhança não é mera coincidência

Os EUA são muito bem conhecidos por fazerem uso de atletas transgênicos, mas daí usar super herói é sacanagem!

quinta-feira, agosto 14, 2008

A pressa é, indubtavelmente, a inimiga da perfeição


Borboletas safadinhas apressadinhas só se ferram!


Aguém me explica, qual a chance de encontrar duas borboletas safadinhas fazendo "coisinhas" no chão da cidade em plena tarde de quinta feira? Talvez uma em 1 bilhão? Pois é, eu estava passando na rua quando num creck percebi que pisei em duas borboletas safadinhas no meio da rua... ai que culpa, será que Deus perdoa? T-T


Daí que deve ser mais ou menos a mesma proporção de ganhar sozinho na megasena 500 milhões de reais, que provavelmente seriam disperdiçados porque sabe-se bem que precisa se controlar muuuuito para que o dinheiro "interminável" assim permaneça não é verdade? Nesse caso, da mesma forma que acabei com a alegria das borboletinhas safadinhas eu acabaria com a minha alegria!


POR QUE DEUS? PORQUE EU NÃO PUDE TENTAR ACABAR COM A MINHA ALEGRIA? ACABAR COM A DOS OUTROS É MUITO FEIO!!! T-T

terça-feira, abril 22, 2008

All we need is Love


LOVE noun/verb


AFFECTION 1[U]

a strong feeling of deep affection for sb/sth, especially a member of your family or a friend:

a mother’s love for her children > love of your country > He seems incapable of love.


ROMANTIC

2[U] a strong feeling of affection for sb that you are sexually attracted to:

a love song / story > We’re in love! > She was in love with him. > They fell in love with each other. > It was love at first sight (= they were attracted to each other the first time they met). > They’re madly in love. > Their love grew with the years.


ENJOYMENT3[U, sing.]

the strong feeling of enjoyment that sth gives you:

a love of learning > He’s in love with his work. > I fell in love with the house.


SB / STH YOU LIKE 4[C]

a person, a thing or an activity that you like very much:

Take care, my love. > He was the love of my life (= the person I loved most). > I like most sports but tennis is my first love.


FRIENDLY NAME 5[C]

(BrE, informal) a word used as a friendly way of addressing sb:

Can I help you, love?—compare duck


IN TENNIS6[U]

a score of zero (points or games):40–love! > She won the first set six–love / six games to love.



I can't understand why such a nice thing is so complicated in life, actually we make Love a complicated matter at all. When we look deep down we see how simple it can be but as the adults we think we are, we build up walls to make everything more difficult or somewhat more interesting.


I love this blog. I love my pets, my parents, my relatives, myself, my friends, my boyfriend.


Even loving all of them, nothing is as simple as this. Nothing is perfect and nothing is always the way we meant to be.


Love builds and destroys. It is destroying my brain is slowly but I'm still capable to think... I think at least!


Could I be writing all this without thinking?


Gosh i'm writing in the wrong language O.O!


Sorry... my brain has melted...


I love water.

sábado, fevereiro 02, 2008

Tudo o que o Mercado precisa!


ENTREVISTA DE SELEÇÃO PARA UMA GRANDE EMPRESA


1º) Candidato formado na USP

Diretor:- Qual e a coisa mais rápida do mundo?

Candidato: - Ora, é um pensamento.

Diretor: - Por que?

Candidato:- Porque um pensamento ocorre quase instantaneamente.

Diretor: - Muito bem, excelente resposta.


2º) Candidato formado na PUC

Diretor: - Qual é a coisa mais rápida do mundo?

Candidato: - Um piscar de olhos.

Diretor: - Por que?

Candidato: - Porque e tão rápido que as vezes nem vemos.

Diretor: - ótimo


3º) Candidato formado na UNICAMP:

Diretor: - Qual é a coisa mais rápida do mundo?

Candidato: - A eletricidade.

Diretor: - Por que?

Candidato: - Veja, ao ligarmos um interruptor, acendemos uma lâmpada a 5km de distância instantaneamente.

Diretor: - Excelente.


4º) Candidato fazendo curso técnico no SENAI do Piaui­:

Diretor: - Qual e a coisa mais rápida do mundo?

Candidato: - Uma diarréia...

Diretor: - Como assim ? Esta brincando ? Explique isso...

Candidato: - Isso mesmo. Ontem a noite eu tive uma diarréia tão forte, queantes que eu pudesse pensar,piscar os olhos ou acender a luz, já tinha me cagado todo...

Diretor: - O emprego é seu!


Fundamento técnico e cálculo não é tudo...entender de cagadas é o que o mercado precisa!

quinta-feira, janeiro 31, 2008

Fora Artístico


*Conversa de MSN*


Ele diz:oi gata sumida

Eu diz:oi

Ele diz:tudo jóia?

Eu diz:sim

Ele diz:será q um dia a gente vai se ver mais?

Eu diz:um dia

Eu diz:qm sabe

Ele diz:nossa, vc é sempre assim tão fria?

Eu diz:rs..mas to falando algo de errado?

Ele diz:não, pensei q vc talvez quisesse sair comigo e tals

Eu diz:ah sim, mas um dia desse...é isso q to falando

Ele diz:pq não agora?

Ele diz:tem algo q te impede no momento?

Eu diz:tenho
Ele diz:posso saber o q é?

Eu diz:sim

Ele diz:me fala então?

Eu diz:falo

Ele diz:então?:

Eu diz:jantar e dps dormir

Eu diz:rs

Ele diz:boba...


Por uma anônima da PDC

Conversa de MSN

quarta-feira, janeiro 30, 2008

História sem nome parte 2



Mudança de planos



Era bem tarde da noite quando resolvi ligar para Laura para dar as más notícias, não minha mão não deixara eu ir para Londres com Laura. Até parece que iria deixar nunca deixara antes eu fazer nada do gênero. No terceiro toque Laura atendeu o telefone.

- Alô – disse ela.
- Oi Laura, sou eu. – respondi tristonhamente.
- Ah Joy! – ela fez uma breve pausa – Pela sua voz sua mãe...
- Um fracasso total como eu previ! – interrompi – Ela nunca me deixa fazer nada, NADA! Ir para a Inglaterra com você então... ela mesma nunca saiu do país quer que eu faça o mesmo!
- Você desejou que ela deixasse você ir? – perguntou Laura enigmaticamente.
- Como assim? Claro que desejei! – disse com veemência
- Joy, querer não é mesmo que desejar...
- Não adiantaria de nada! – respondi com raiva e meus olhos enchiam-se de lágrimas.
- Escute tente amanhã pela manhã novamente. –disse ela mansamente
- Como é que é? Laura, você já conhece a minha mãe suficientemente bem para saber que ela não...
- Você não confia em mim? – interrompeu Laura com um leve traço de raiva na voz.
- Mas é claro que sim! – respondi de prontidão.
- Nesse caso, não custa tentar! Peça pra ela novamente pela manhã e me ligue logo em seguida! – Falou Laura com convicção.
- Certo, mas não me diga que eu não avisei...
- Não diga você que Eu não avisei – ela deixou escapar uma gargalhada.
- Ha ha ha certo... até amanhã então – disse eu com um pesar de sono.
- Até! E não se esqueça de me ligar!

Na manhã seguinte acordei bem mais cedo do que de costume para um fim de semana, e não consegui voltar a dormir. Fui para a sala com um livro e comecei a ler até que meus pais acordaram e ambos se levantaram. Eu me encontrava deitada num sofá de dois lugares à parede que dava de frente à porta de entrada com o livro nas mãos devorando cada página com rapidez.
Minha mãe se largara à minha frente numa das poltroninhas amarelas que comprara recentemente, ainda com o plástico envolto por causa dos gatos e meu pai se dirigira para a cozinha como sempre assaltar a geladeira pela manhã. Nenhum dos dois era muito magro se é que me entendem, dessa forma a impressão que dava era que minha mãe ia ficar presa na poltroninha a qualquer momento mas tal coisa nunca aconteceu para sua felicidade. A casa não era grande e dava para saber tudo o que meu pai comia na cozinha pela ausência de porta desta, fora retirada a anos e nem me lembro mais do motivo.

Minha mãe tinha acabado de ligar a TV fazendo assim impossível para mim continuar a ler, na verdade já estava até acostumada com isso, nenhum dos dois eram chegados em leitura o que me fazia totalmente incompreendida já que pouco se lixavam se eu queria ler ou me concentrar em alguma coisa. Fechei o livro e fiquei olhando minha mãe por um tempo e disfarçava olhando para a TV algumas vezes. Então tomei coragem e perguntei novamente.

- Mãe... – comecei

De primeira ela me ignorou. Era o efeito da bendita TV. Quando ela ligava aquela porcaria não se importava com o que a gente dizia, a gente mais restritamente eu, sempre me ignorava, isso quando não me mandava calar a boca para não perder a novela.

- Mãe! – chamei mais alto.
- Quê? – respondeu ela um pouco contrariada.
- Posso passar as férias na casa da Laura na Inglaterra? – perguntei prendendo a respiração logo em seguida.

Era bem óbvio que eu esperava uma explosão àquela altura. Provavelmente ela ia gritar pela casa que eu não tinha a menor consideração por ela, que já tinha me dito que não, que eu sou isso e aquilo e não faço alguma coisa assim ou assado. Nem sempre as reclamações de minha mãe fazem sentido para as pessoas, mas ela reclama mesmo assim e jura que as pessoas entendem. Ainda acho que ela mistura coisas demais na cabeça e depois não sabe bota-los em ordem para mostrar sua frustração com relação a alguma coisa, e isso sempre dificultou a nossa relação desde o princípio.

Porém, estranhamente ela parou e ficou me olhando por um tempo. Inicialmente ela tentou fazer uma cara feia e indignada, foi quando pensei que começaria a vomitar a mistura de fatos bizarros que vinha à sua mente, mas muito pelo contrário, ela parou e fez uma cara mais tranqüila ao me responder.

- Pode – disse ela de súpeto.

Arregalei os olhos naquele momento, não acreditei que ela acabara de me deixar passar as férias com Laura sem fazer milhões de escândalos e me chamar de ingrata por algo que eu nem fazia idéia de que tivesse feito.

- Posso? –perguntei surpresa.
- Não é o que você que você quer? – respondeu ela malcriadamente.
- É... –respondi meio desconsertada.
- Então vá logo antes que eu me arrependa...

Naquele momento peguei meu livro e voei para o meu quarto como um foguete, tranquei a porta e comecei a pular feito louca de tanta alegria. Imagina só que minha mãe em sã consciência me deixaria fazer uma vontade dessas? Daí então parei e me lembrei que tinha de ligar para Laura. Quando ia abrir a porta meu pai já estava gritando meu nome na sala.

- JOYCE! Ô JOYCE! – gritava ele.

Abri a porta do quarto e fui até a sala. Ele estava com o telefone na mão me esperando, assim que me viu saindo pela porta completou:

- É pra você. – e me passou o telefone logo em seguida.
- Alô – disse eu.
- E aí já pediu de novo?

Era Laura ao telefone. Até parecia que tinha adivinhado que eu acabara de falar com a minha mãe a respeito da viagem.

- Sim e ela deixou! – disse eu extremamente excitada.
- Sabia que ela iria deixar! – disse Laura.
- Sabia? – perguntei desconfiada- Escuta, tu andou falando com ela heim?
- Nem... – começou Laura – Nos falamos ontem de noite e fui direto dormir ou você se lembra de alguém ter te ligado de noite?
- Não, o telefone não tocou mais depois que nos falamos... – parei por um instante tudo parecia tão irreal, minha mãe acabara de me deixar ir para a Inglaterra! – deve ter sido pura sorte... – completei.
- E que sorte! – disse Laura – Agora a gente continua se falando e já vai vendo o que você vai levar! Vou contar a novidade aos meus pais!
- OK – disse sorrindo – até mais tarde então!

Ao desligar o telefone me enchi de expectativas. Iria conhecer o país que eu mais gostava pela primeira vez! Só rezava agora para minha mãe não mudar de idéia com a mesma velocidade que tivera mudado da última vez.
That's all folks ! \o/

terça-feira, janeiro 29, 2008

80 maneiras de irritar Severus Snape!



80 maneiras de irritar o Snape!!!

Resumo: Manual escrito por uma aluna pentelha e totalmente sem noção do perigo. Não tente seguir essas lições!

1) Abra caminho pra passagem dele jogando pétalas de rosas.
Snape: O que diabos está fazendo?
Vivi: Jogando flores!
Snape: Gosta de flores? Vai amar as que colocarei em seu túmulo.

2) Esconda-se atrás dele e grite:Professor sua capa está pegando fogo!
Snape: De novo não! *batendo a mão na testa*

3) Abrace-o sem dar explicações.
Snape: O que está fazendo?
Vivi: Te abraçando.
Snape: E posso saber por que?
Vivi: Ordens de Dumbledore.
*Snape pensando* Dumbledore está realmente ficando gagá.

4) Grite esporadicamente: "Menos 10 pontos professor Snape"
Snape: 10 pontos a menos pra SUA casa.

5) Durante uma aula, tape o rosto com as mãos e quando ele chegar perto grite: Achou!
Snape: A senhorita faz tratamento pra doenças mentais?
Vivi: Não! Por que?
Snape: Pois deveria.

6) Siga o pelos corredores de Hogwarts imitando-o.
Snape: O que a senhorita está fazendo?
Vivi: Nada. *cara de anjo*
Snape: Se um dia precisar de uma nova sombra lhe aviso.

7) Faça um feitiço para os cabelos dele ficarem cheios de cachos.
Snape *pensando*: Por que será que todos olham pra mim e riem? *levando as mãos a cabeça.* VIVIANE LOCKHART! SE EU TE PEGAR!

Bem há essa hora você já deve estar bem encrencada! Se não tiver sido expulsa, morta ou coisas do gênero, você conseguiu uma proeza. A continuação é por sua conta e risco...e bota risco nisso!

8 ) Pegue um bolo de chocolate e coma tudo durante a aula dele. Ofereça o prato sujo pra ele lamber.
Vivi: *com o prato sujo na mão* Quer?
Snape: 10 pontos da sua casa. E corra pra cozinha pra dar um jeito nesse prato. Do contrário eu vou pegar esse restos e vou misturar em sua poção. E depois lógico testá-la em você.

9) Vista-se de preto e tinja seu cabelo também. Agora refira-se a você mesma como "Mini-snape".
Snape: Já se divertiu? Agora é minha vez! *te pegando pelo braço*

10) Pergunte pra ele qual seu nome do meio?
Vivi: Professor, qual seu nome do meio?
Snape: É Severo Tome-conta-da-sua-vida-se-quiser-se-formar-viva-e-inteira! Snape. Entendeu?

11) Arrume um ursinho de pelúcia bem fofinho e gracinha e coloque em algum lugar onde possa ser visto por todos facilmente. Coloque uma etiqueta nele com o nome de "FOFINHO" e outra com letra de criança escrita : "Pertence a Severo."
Snape: Ah se eu descobrir quem fez... fez isso! Seu bando de bebês chorões...Minerva?

12) Enquanto ele estiver dormindo, pegue um canetão hidrocor e desenhe um raio na testa dele.
Snape: Está todo mundo olhando pra mim de novo...Melhor achar um espelho.
Minutos depois de sua cabana Hagrid escuta um grito horrível.

Bem se ele descobrir que foi você, dê adeus a Hogwarts. Ou você será expulsa ou fará um tour no céu.Tome bastante cuidado ao fazer as próximas lições.

13) Enquanto ele inspeciona seu trabalho... Pegue sua varinha, coloque-a diretamente entre os olhos dele grite: Lumus!
Snape: * apontando para o lugar errado* Hoje você vai ter a pior detenção da história de Hogwarts.

14) faça sua poção toda errada. Sorria enquanto ele passa sermão e pergunte se isso merece detenção.
Snape: Você acha que manda em mim? Veremos daqui a pouco.

15) Pegue aquela poção errada e derrube nele. Sorria enquanto ele raivosamente se limpa e pergunte se ISSO merece uma detenção.
Snape: Detenção? Você merece é ser expulsa. Fora todo mundo *apontando pra você* Você fica pra uma conversinha!

Mais tarde naquele dia...
Snape: Mas por que não Alvo?
Dumbledore: Ora porque a garota é emocionalmente instável. E é obvio que ela quer chamar sua atenção.
Snape: Emoções instáveis? É a sanidade dela o problema! Essa garota é totalmente biruta!

16) Diga pra ele que você acha que Lupin é o único capaz de assumir a cadeira de professor de DCAT.
*Snape rangendo os dentes *

17) Sorria pra ele... o tempo todo.
Snape pensando: Essa garota consegue ser mais irritante que o Potter. Eu não agüento mais essa fedelha.


18 ) Publique um jornalzinho sobre a vida do Mestre de Poções e suas atividades diárias. Chame-o de "Snape Diário".
Snape: O que é isso? Um jornal? Snape diário? Que %$#@*&!
Lendo uma página aleatória...
"Hoje nosso querido Mestre de Poções estará disponível de 6 ás 7 da manhã pra você nas masmorras. Ele tomará seu delicioso café da manhã no Salão Principal e exatamente às 7:50 ele descerá para sua sala pra preparar sua primeira aula do dia.
Se você quer perguntar-lhe algo o faça antes da aula porque seu primeiro horário é aula dupla com Sonserina e Grifinória. Ele costuma ficar muito irritado depois. Abaixo um esquema detalhado da vida de nosso amado professor... "
*Amassando o jornal nas mãos* Ah se eu pegar o infeliz que escreveu isso.
19) Bata palmas sempre que ele acabar de falar.
Snape pensando: Talvez ela ainda tenha cura.

20) Pergunte durante uma detenção se ele quer uma massagem. Faça cara bem inocente.
Snape: Nem pense nisso mocinha!

21) Vomite em sua poção.
Ele chega correndo e tira sua cabeça de dentro do caldeirão.
Snape: Você ficou maluca? Essa poção não tem mais serventia!Qual seu problema? Eu sei que hormônios adolescentes atrapalham o cérebro, mas não a ponto de alguém sair vomitando por todo lugar. Merlin daí me paciência.

Bem você sobreviveu. Sorte sua que Snape acha que você é uma doente mental. Você está chegando no limite da paciência dele. Mas não desista se você quer deixá-lo insano.

22) Quando ele der aquela olhada pra você, faça um olhar igual e retribua. Se ele piscar ou desviar o olhar grite: Eu ganhei!
Snape: 10 pontos da sua casa!

24) Chame-o de Severo.
Snape: Se não me engano continuo sendo seu professor. Não lhe dei permissão para me chamar pelo meu primeiro nome! 20 pontos da sua casa.

25) Seja corajosa e o chame de Sev.
Vivi: Então posso te chamar de Sev?
Snape: 50 pontos.
26) seja muito corajosa e o chame de Sevynho!
Vivi: Sevynho talvez?
Snape: 75 pontos.

27) Seja suicida e o chame de Sev FOFUXO!
Vivi: Você deixa eu te chamar de SEV FOFUXO! ?
Snape: Agora chega! 100 pontos e mais uma semana de detenção! Agora acha que estou lhe dando a atenção necessária? *olhar inquisidor*

28 ) Enquanto ele lista os ingredientes das poções fique dizendo:"Hum...que delícia!".
Snape: Srta. Lockhart poderia dizer quão deliciosos são esses ingredientes? Eu adoraria ajudá-la em sua degustação. Poderíamos começar com aquelas presas de víbora envenenadas.Quem sabe assim teríamos paz nessa sala?

29) Pergunte a ele sobre sua higiene e vida pessoal.
Snape: Acredite você não vai querer saber. *olhar mortal*
30) Ateie fogo na capa dele.
Vivi: Sua capa está pegando fogo senhor!
Snape: Eu não caio nessa de novo.Nunca mais...
Vivi: Mas senhor...
Snape: Não me interrompa sua insolente! Eu não posso acreditar que esteja tão desesperada por minha atenção assim.
*Profª. Minerva chegando assustada*
Minerva: Severo você está pegando fogo!
Snape: O que? *apagando o fogo da capa e saindo te olhando com raiva*
Minerva: Qual o problema dele? Nem agradeceu a srta!Será que ele nunca vai aprender a ter bons modos?

31) Coloque fogo em suas próprias roupas e insista que ele tem que salvá-la.
Vivi: Me salva professor eu to pegando fogo!
Snape: *fingindo que não está acontecendo nada*
Vivi: Eu vou morrer! Eu to com medo! *exagerando no drama*
Snape: Sim eu tenho mesmo...*desanimado*
Depois q ele te salvar...
Vivi: Obrigada professor, você é meu herói! *pulando no pescoço dele com felicidade exagerada*

Agora sim você o irritou. Matou de raiva...

32) Descubra de alguma forma o dia do aniversário dele. Encha as masmorras com balões pink e fitas douradas e faça uma festa surpresa.
Snape: Dumbledore meu velho...dessa vez você se superou.
Dumbledore: Oh, Severo não foi idéia minha e sim de sua aluna. Ela não é encantadora? *colocando você a frente*
*Faça uma cara de inocente*
Dumbledore: Eu ouvi dizer que ela tem feito muito por você. Fico muito feliz que estejam reconhecendo seu trabalho. Muito atenciosa a garota.
Snape: *virando um copo de whisky* Espero que eu sobreviva as atenções dela.

33) Faça todas suas lições em papel perfumado e em forma de coração.
Snape: Que coisa horrível é essa? Uma redação escrita em papel de coração? E que cheiro estranho é esse? Quem será que....? Lógico só pode ter sido ELA!e a nota é mais fácil ainda...*fazendo um grande 0*
34) Fique rindo durante as aulas dele sem motivo nenhum. Continue assim até que ele te chute pra fora das masmorras.
Snape: O que é tão engraçado que não pode esperar pra depois?
*Silêncio e mais risadas*
Snape: Estou avisando se não parar de rir testarei a poção de Longbotton em você!
*mais risadas*
Snape: Muito bem Longbotton, certifique-se de fazer tudo direito,dessa forma ela certamente ficará envenenada e nós teremos paz por aqui.
*continue rindo*
Snape: Se não parar eu vou te chutar pra fora da sala, você vai sair tão rápido que qualquer pomo de ouro irá sentir inveja de você!
*você não para, ele te pega pelo braço, te põe pra fora e fecha a porta na sua cara*

Só continue se tiver coragem, ou seja, totalmente insana...

35) Caia completamente de amores por ele. Espalhe isso pra toda escola.
Snape: Certa vez eu pensei que ter me tornado um Comensal foi a pior coisa que me aconteceu. Agora toda a escola ri de mim, os professores me olham como se eu fosse um pedófilo, essa garota me segue por todos os lados e não meto mais medo em ninguém com ela me chamando de FOFUXO! E Sev.Tudo que eu queria...*irônico* que ótimo!Lord das Trevas...Ai vou eu

36) Sente perto dele durante as partidas de quadribol. Diga que vai protegê-lo das grifinórias malvadas.

37) Pergunte se ele tem medo da luz solar ou se é naturalmente pálido mesmo.

38 ) Assine seu nome em tudo que conseguir pegar dele, incluindo o próprio professor.

39) Faça a seguinte pergunta pra ele: "Senhor, Quando vamos engarrafar a fama?".

40) Segure a capa dele como se fosse véu de noiva.

41) Peça o autografo dele.
Snape: Vou ficar feliz em assinar sua lápide.

42) Pergunte: "Quando vamos chegar na parte de cozinhar glória senhor?".

43) No meio da aula grite: "Senhor, segure essa pose!". E comece a rabiscar um desenho tosco em algum pedaço de pergaminho.

44) Mencione pra ele que quer mudar seu nome pra Severus.

45) Durante uma aula pergunte:"Professor qual a cor de sua cueca?O senhor usa né?"

46) Pergunte se ele não quer conhecer sua mãe.
Snape: No dia do seu enterro.

47) Erga a mão bem alto quando ele perguntar algo. Se ele te chamar ignore a pergunta dele e diga: "senhor, consegue fazer isso?"Aí faça algo bem estúpido. Ex: enrolar a língua, balançar as orelhas, piruetas, dançar a macarena e etc...

48 ) Desmaie regularmente durante as aulas dele.

49) Escreva e faça coreografia pra uma apresentação na escola chamada: Severus,o Musical.Coloque você como protagonista e também pra fazer todos os outros papeis.

50) Se aproxime. Ajoelhe, proponha casamento e corra. Corra muito, detalhe: faça isso no meio do Salão Principal.

51) Pergunte se ele quer um pouco de xampu emprestado.

52) Corra até ele gritando muito, pegue-o pelo braço, arraste-o até os jardins, aponte uma nuvem no céu e diga: igualzinha ao senhor.

53) Toda vez que ele se aproximar, se jogue no chão. Insista que não consegue se levantar sozinha.

54) Pergunte sobre a saúde dele.

55) Pergunte o peso dele.

56) Pergunte sobre o estado de limpeza das cuecas dele.

57) Faça cosquinhas nele.

58 ) Pergunte a idade dele.

59) Empurre-o no lago.

60) Dê pra ele uma camiseta do Metallica ou do Kiss.

61) Pergunte sobre a infância dele.

62) Pergunte qual é a dele com Lucius Malfoy.

63) Tranque-o num quarto com a Profª Trelawney.

64) Ignore totalmente a presença dele. Não preste atenção nem um pouco nele. Finja que não pode vê-lo. Se ele perguntar algo não responda. Se ele ficar na sua frente, finja que pode ver através dele. E quando ele estiver perto e possa te ouvir claramente pergunte pra alguém próximo: Por que o Professor Snape desapareceu?

65) Finja que está fazendo uma poção. Jogue um pacote de macarrão instantâneo dentro do caldeirão e quando ele vier dar uma olhada ofereça uma concha pra ele.

66) Diga esporadicamente: Severus Snape... o que sua mãe pensaria???

67) Quando ele abaixar pra dar uma olhada em seu trabalho, pegue-o pelo colarinho e roube um beijo daqueles
Vivi: Continue assim senhor. Muito bom mesmo. *a melhor, na minha opinião*

68 ) No fim de cada aula dê uma piscadela pra ele e diga: Nos vemos mais tarde Professor. Ponha muito sarcasmo na palavra professor.

69) Se levante no meio da aula e tire a temperatura dele.

70) Pergunte se ele tem namorada.

71) Fiquei mandando beijinhos pra ele durante a aula.

72) Morda ele.

73) Num momento de silencio, pule na mesa dele aponte o dedo na cara dele e pergunte: " Onde o senhor estava no dia 21 de fevereiro de 1946?"

74) Durma durante a aula.

75) Se alguém te acordar, fale como se estivesse dormindo: "Severo, querido volta pra cama".

76) Dê uma cheirada nele e finja que ficou doidona.

77) Dê um soco nele, derrube-o no chão, sente em cima e bata uma foto.

78 ) Enquanto ele dorme faça trancinhas nele.

79) Cante a trilha sonora de filmes da Disney, capriche no Hakuna Matata.

80) Faça um cartaz imenso escrito: "Fã clube do Sev FOFUXO! Snapinho, o professor mais sexy e tchuchuko de Hogwarts, inscrições aqui.” E cole isso no meio do Salão Principal. Assegure-se que todos vejam seu nome de primeiro da lista

Gota d'agua. Ultrapassou todos os limites.

Snape: * te pegando pelo braço* Você me irrita sabia?
Vivi: Senhor se eu te deixar em paz, minha casa ganha 100 pontos?

Ele nem responde e sai te arrastando pelos corredores.

Snape: Por que me atormenta tanto? O que eu fiz pra você me odiar tanto?
Vivi: Pelo contrário, Sev FOFUXO! Snapinho, Tchuchuko, eu gosto muito de você.*abraçando um braço dele* Pra onde esta me levando?

Uma porta se abre: um quarto, uma cama...

Vivi: Hum...estou gostando...
Snape: Mesmo? É sua detenção...

Ele pega uma corda e te amarra na cama...

Vivi: Ora Sev, não sabia desses seus fetiches.Que safadinho!

Ele começa um strip bem devagararinho e sussurra em seu ouvido:

Snape: Seu castigo é esse.Olhe bem, pois nunca vai ter. Descobri seu ponto fraco, apenas olhe querida, nunca vai ter...*malicioso*
Vivi: NÃÃÃÃÃOOOOOOOOOO!!!!!!!!!! *gritando*

terça-feira, janeiro 22, 2008

História sem nome parte 1


Lembranças de aniversário!

Era dia do meu aniversário e como sempre chovia um tremendo dilúvio como todos os anos, isso é porque eu nasci no outono, e todos sabem que nesses meses de março e abril chove muito aqui em Santos, mas isso nunca impediu meus amigos de me visitarem neste dia e comparecer às minhas “reuniões”, ou de sairmos para um restaurante, pizzaria, qualquer coisa do gênero. Estavam as pessoas de sempre, aqueles que sempre foram meus amigos e os quais eu sempre dei muito valor a amizade, porém faltava uma, a pessoa que me ensinou a acreditar em mim mesma.

- E aí Joy, sabe alguma coisa da Laura? – perguntou minha amiga Anna.

- Não, ela não dá notícias há bastante tempo sabe. Deve estar ocupada. – respondi com uma certa convicção falsa.

- Eu me lembro muito bem o quanto ela te meteu naquelas encrencas todas... – disse Anna fazendo uma cara séria.

- É! – de repente falou Pedro com uma cara séria. – Mas foi tão legal! – disse então sorrindo com empolgação. – Conta de novo aí Joy, eu quero ver se absorvo mais detalhes disso!

- Você só quer ouvir porque acha que foi um sonho Pedro. – respondi.

- É! Mas um sonho muito legal! – disse ele então juntando os punhos fechados como se estivesse rezando com as mãos coladas, contraídas.

- OK, vamos ver se eu lembro de tudo então direitinho....

“Era o primeiro dia do segundo ano do Ensino Médio e eu estava reencontrando alguns amigos que eu via apenas durante o ano letivo, um pouco diferente das outras pessoas eu gostava e sempre comparecia aos primeiros e aos últimos dias do ano na escola porque nunca tinha nada pra fazer e a gente então podia conversar a vontade sem falar que até valia ter um papo descontraído com os professores antigos e até mesmo com os novos. Foi nesse dia que eu conheci uma menina nova, ela era de outra cidade, se chamava Laura. Laura era mais ou menos da minha altura, tinha olhos verde escuros e cabelos pretos e lisos, como todo aluno novo ela se encontrava um tanto isolada do resto da classe em um canto no fundo sem falar com ninguém. Esperei até o recreio começar para puxar assunto com ela e saber de onde era.

Estudávamos em um colégio um tanto antigo, tinha cerca de 80 anos de tradição na cidade e era digirido por freiras, o que não significava que as regras eram das mais rigorosas, até fora tempos atrás mas assim como os tempos, as pessoas e assim respectivamente o colégio muraram, de acordo com a posição da sociedade. Eu me lembro que quando comecei a estudar lá aos meus 9 anos eu achei tudo bastante diferente pois éramos obrigados a vir com o uniforme completo, assim como a cor do tênis que usávamos era padronizado. Uniforme completo com tênis azul marinho e meias brancas, se alguém fugisse desse critério, pode apostar que um dos inspetores faria seu papel e daria o aviso, caso fosse reincidente teria então uma advertência ou nos casos mais graves ligariam para os pais vir buscá-lo no colégio. Mas isso não afetava nenhum dos alunos na época, porém foi mudando com o tempo claro que advertências não eram mais distribuídas àqueles que viessem com um tênis cor de rosa ou uma meia preta e paramos de nos levantar para os professores que entravam na sala de aula no nosso primeiro ano do Ensino médio. Isso aconteceu porque a nossa professora de inglês que era nova lá também não sabia que fazíamos isso e se assustou bastante quando viu todos os trinta alunos se levantarem e calarem a boca no instante que ela entrou.

Bem, após então as três primeiras aulas do dia, veio o intervalo para o recreio e então resolvi me aproximar da menina que se isolava no canto da sala enquanto todos estavam saindo da sala para o pátio.

-Oi! – disse eu olhando para Laura.

- Oi! – respondeu ela de volta estampando um belo sorriso no rosto. – Meu nome é Laura e eu sou nova aqui.

- É eu reparei. – falei sorrindo – Eu sou Joyce. De que colégio você veio Laura?

Ela então sorriu pra mim com uma cara um tanto sem graça como se estivesse a dizer uma coisa envergonhante ou estranha.

- Na verdade eu vim de outro país, acabei de chegar de Maidenhead...

- Inglaterra! – interrompi.

- Isso! Conhece? – disse ela mais animada.

- Ah... só pelo mapa! – começamos ambas rir neste momento.

Passamos o recreio do primeiro dia de aula ali na classe, Laura me contou que não era inglesa, mas se mudara para a Inglaterra quando criança acompanhando os pais, e por isso não tinha sotaque já que nunca perdeu contato com a Língua Portuguesa, mas que sabia bem inglês por esse motivo. Ela me contou também que foi para lá porque o pai fora transferido na época, que ele trabalhava com coisas do espaço aério, mas não me disse exatamente o que essas coisas eram. No fim do dia conversamos mais um pouco antes de voltar para casa no pátio do colégio.

- Sabe esse colégio é bem legal. – disse ela – meio que mistura o novo com o velho.

- É as estruturas são bem antigas você pode reparar nas escadas de madeiras e nas grandes janelas e naqueles buracos próximos ao teto que fazem o ar ventilar e tudo. Tudo foi feito para ser bem ventilado e tem até aqueles tablados de madeira junto às lousas pros professores parecerem que estão num nível superior. Mas nós temos uma sala de informática também – disse rindo – por incrível que pareça as freiras não estão na idade da pedra!

- É da pra perceber! – disse ela rindo.

- E não estão mesmo! – disse uma voz feminina atrás de mim rindo-se também.

Olhei para trás e vi que era minha madrinha, a irmã Regina Célia. A congregação das freiras do colégio São José não as obrigava a usar aquelas roupas que diziam “olhem pra mim eu sou uma freira!”, na verdade elas andavam normais, se bem que a Célia não andava assim tão normal como as outras freiras, isso em relação a elas mesmas. Todas vestiam saias e blusas, já a Célia vestia sempre calça comprida, tênis e uma camiseta bem larga.

- Laura essa aqui é minha madrinha a irmã Regina Célia. – disse eu.

- Ah prazer em conhecê-la irmã. – respondeu Laura

- O prazer é todo meu filha! – disse Célia com um belo sorriso no rosto. – E aí menina? Nem foi me procurar hoje!

- Ah eu estava mostrando o colégio pra Laura ela é aluna nova – expliquei um tanto constrangida.

- Ah não tem problema... E aí Laura gostou do colégio? – Perguntou Célia interessadíssima na resposta da menina.

- Gostei sim, é um tanto diferente dos outros que visitei aqui em Santos. – respondeu Laura.

- Ah que bom! Espero que fique bastante feliz com tudo aqui! Bem meninas eu tenho que ir falar com a irmã Tereza, até amanhã!- disse ela soprando beijinhos no ar e indo em direção a enfermaria.

- Ela é bem legal pra uma freira. – disse Laura olhando Célia se distanciar.

- Bem doida você quis dizer né? – ri – Ela é legal sim, legal e doidinha.

Ficamos muito amigas naquele dia e no dia seguinte apresentei Laura aos meus amigos. Um pouco diferente das outras pessoas eu tinha amigos em grupos. Eram cerca de 3 grupos distintos que não andavam juntos mas nada tinham contra os outros. Apresentei Laura a todos eles, O grupo da minha classe e aos outros dois dos outros primeiros anos, mas por algum motivo, assim como eu ela se sentia mais a vontade com os meus amigos dos primeiros anos A e B. Talvez eles fossem mais estranhos como nós.

Era então o último dia de aula de junho, ou seja, no dia seguinte estaríamos nas nossas férias de Julho. No fim do dia, Laura veio até mim com um sorriso bem grande no rosto.

- Posso falar com você a sós Joy? – perguntou ela.

- Claro! –respondi.

Fomos até o lado de fora do colégio perto do ônibus escolar que me levava para casa todos os dias. Larguei minha mochila e meu fichário dentro do ônibus e segui para fora para falar com Laura.

- Meus pais e eu vamos passar as férias em Maidenhead. – disse ela

- Ah, pensei que fôssemos passar as férias juntas. – disse eu desanimada.

- E vamos se você quiser. – respondeu Laura prontamente.

- Vamos é? – disse eu incrédula.

- Meu pai disse que arranja outra passagem para Heathrow se você quiser vir junto comigo, vamos partir em uma semana! – disse ela radiante.

Uma imensa onda de empolgação tomou conta de mim naquele momento. Imagina só ir para a Inglaterra com uma das minhas melhores amigas! Era uma notícia ótima e eu nem sabia se eu pulava de laegria, gritava, saia correndo ou tentava tudo ao mesmo tempo.

- Você tem certeza? Essas passagens são caras. – disse eu novamente olhando para ela.

- Meu pai trabalha nesses esquemas de controle aério ele arranja uma fácil fácil sem custos exorbitantes. – respondeu ela ainda com um grande sorriso estampado.

- Nossa que demais! – gritei dando um abraço nela. – Mas o duro vai ser convencer os meus pais a me deixarem ir com você.

- Ah Joy você pode tentar, tenho certeza que sua mãe deixa! – disse ela olhando pra mim.

- Bora Joy! – gritou um homem na porta do ônibus.

Olhei para trás e era Kleber, o cara que dirigia o ônibus e eu também era o dono dele. Ele fazia parte dos malucos dos meus amigos, nós sempre conversávamos muito e coisa e tal, ele me fitava arrumando os óculos sob o nariz.

- Olha Laura eu te ligo OK? Daí a gente conversa mais. – disse eu me apressando para entrar no ônibus.

- Certo, vou esperar você me ligar assim, que chegar em casa! – disse ela acenando assim que entrei no ônibus.

Sentei-me na poltrona da frente do ônibus como sempre ao lado de Kleber e assim que ele fechou a porta atrás de mim acenei de volta para Laura e partimos. Meu coração queria explodir de tanta felicidade, imagina só eu estava prestes a ir para o país dos meus sonhos! Era bom demais para ser verdade.

ACABÔÔÔÔÔÔÔÔÔÔÔÔ POR HOJE XD

segunda-feira, janeiro 21, 2008

MelDels!


Isso é o que eu chamo de fazer o tempo voar! O.O


Gente como passou rápido!


Ok ok um breve resumo com umas certas explicações...


2007 foi simplesmente uma merda pra mim ok? xD


Eu fiquei depressiva a maior parte do ano, não queria ler nem escrever ne nada, tanto que fiquei de dp de ADM por que aquele fdp ta afim de me comer mas ele que se foda sabe... eu denunciei ele pro coordenador e espero do fundo do meu coração que ele seja demitido e essa dp filhadaputs retirada porque eu realmente não mereço esse inconveniente!


Fiquei muito feliz de 2007 ter acabado e olhaaaaaaaaaaaa primeiro post de 2008!!!!!!!!


Bom, esse é o resumo e vou manter minha promessa ok?


Já comecei a escrever uma historinha a qual vou postar os capítulos aqui com a frequência que estes ficarem prontos =D


O primeiro estou terminando hoje mesmo devo postar aqui, ele não tem nome sabe... bom o Capítulo... acho que vou chamar de "O COMEÇO" AHuahUHAuauHA criativo né?


Vocês sabem que a criatividade é meu forte... ou não o.o'


Ah bem aí vai!


Feliz 2008 pra todos bem atrasado!


Ah e Claudio... SE FUDEU VAI SER PAI! HAuhauHAuahUHAuahUHA


xxxxxxx