quinta-feira, abril 12, 2007

Relatividade Temporal



Tempo, do latim tempus: duração limitada, por oposição à ideia de eternidade; período; época; sucessão de anos, dias, horas, momentos, que envolve, para o homem, a noção de presente, passado e futuro; meio indefinido onde se desenrolam, irreversivelmente, as existências na sua mutação, os acontecimentos e os fenômenos na sua sucessão; certo período determinado em que decorre um facto ou vive uma personagem; oportunidade; ensejo; estação ou ocasião própria; prazo; duração; estado atmosférico;
Uma criação do homem. O tempo não existe. As horas são contadas em minutos que são contados em segundos que são contados em milésimos de segundos que são contados em? Toda essa farsa de tempo move o mundo, o mundo não tempo para esperar ao mesmo tempo que quer mais tempo para realizar mais coisas quando na verdade esse tempo não existe. A Terra apenas gira e escurece e enclarece, só isso e nada mais, nem a divisão de dias nós temos. Meses, anos... nada. Tudo é eterno. Tudo é limitado.
A existência humana está presente há milhões de anos, mas como pode-se dizer que estamos nesta superfície há milhões de anos se na verdade o tempo foi inventado antes de nossos descendentes pudessem tentar entender o que é o tempo?




Sabendo então que esse tempo éuma invenção do homem e que, já que a sociedade o segue desde a antiguidade, vem o preconceito em relação ao tempo. As pessoas não gostam das coisas que existem a um certo tempo,pois esta são tidas como velhas. Ser velho é o que existe a mais tempo, sendo assim as pessoas também podem ser velhas em relação a outras e assim então serão odiadas por outraspor serem velhas. Será que é justo considerar o tempo dessa forma? O preconceito com relação ao tanto de existência que determinado objeto, animal ou pessoa possui?

Partindo para o lado pessoal. Sofro essa discriminação quando as pessoas percebem que meu namorado é mais "velho". "Ele é muito mais velho do que você, porque não proucura algo mais normal?". Nada na vida é normal. Normal é tudo o que a sociedade segue como um padrão, mas isso não significa que todos nós devemos seguir este padrão. Não quero uma pessoa de 20 anos eu quero ele com todos os 55 aos 200 anos que tiver, pois o tempo não existe. Se existe, qual é a patente dele? Quero saber quem o inventou. Todos nós deveríamos estar pagando a família desse inventor por usarmos a invensão dele todos os dias, minutos, segundos, milésimos de nossa existência para todo e qualquer uso.




Eu não acredito no tempo. Não me intereça quantos minutos eu sou mais velha que meu óculos. Se são 8 ou 8.000 minutos ou mais, muito mais. E isso pouco importa em relação as pessoas então, já que são humanos também e são mais novas em relação a outras pessoas.



Eu não acredito no tempo mas sou escrava dele. Fiz uma escolha, a de viver em sociedade, e isso significa que preciso seguir algumas regras e uma delas é o tempo, essa coisa que por algum motivo eu não acredito.


Só queria ter mais tempo para poder pensar e fazer as coisas como devem ser feitas. Porque então não os espandimos e formamos um tempo mais justo?





2 comentários:

Daniella Living disse...

Olá pessoa, tu resides em qual país?

Muito interessante este post.

Ghc disse...

Oi, mto bom seu blog!
vou sempre visitar